Canto

As aulas são dirigidas a todos aqueles que tenham gosto pelo canto. Com uma abordagem a vários estilos e géneros musicais, desde o Pop ao Rock, Soul, Jazz, Funk, Blues, etc. Independentemente do estilo o programa poderá abranger um nível de iniciação ao canto, até um nível elevado onde já existam conhecimentos e experiência vocal. 

A preparação e desenvolvimento para a improvisação vocal, é algo que considero muito importante tanto na exploração de diferentes possibilidades vocais como da extensão vocal.


A ligação física e emocional à voz é também abordada nas aulas de canto contribuindo para uma maior confiança e maior capacidade de assumir a nossa sonoridade.


Quanto à parte técnica centra-se sobretudo no sistema Jo Estill que permite uma aprendizagem profunda e sistemática sobre a anatomia, fisiologia e acústica da voz.  

 

As aulas são dadas de forma individual de acordo com as necessidades e caracteristicas de cada pessoa. De forma regular ou pontual, mais ou menos intensiava consoante os objectivos pretendidos. 

 

Sobre a minha metodologia, o  foco está em si. O ensino é dirigido às suas necessidades e potencialidades, desenvolvendo consciência  da sua voz para que possa usá-la de acordo com os seus objetivos  sem a danificar.

A minha abordagem baseia-se  na conexão voz-corpo-mente e fisiologia da voz (técnica vocal) .​

JAZZ / SOUL / BLUES:

Abordagem de uma postura e estética vocal de raízes negras, procurando uma coloração vocal mais "quente". Preparação para a improvisação e abordagem de "standards" e outros temas como;"Fly me to the moon"; "Summer Time"; "Amazing Grace" entre outros.

 

POP / ROCK :

Género musical esteticamente conhecido pelo "cantar na garganta". Aqui pretende-se aliviar a tensão nas pregas vocais e pressões excessivas na laringe, sendo causa de muitos danos vocais e afonias.

A abordagem ao "drive" de uma forma segura, o uso da compressão para a extensão da voz de peito e da "mixed voice" são as grandes propostas.

METAL: 

Um  estilo normalmente caracterizado por uso de uma postura muito possante onde o "power" vocal associa-se à força que o executante imprime à sua voz, sendo um erro muito comum esta lógica de "força". Para evitar grandes tensões,  esforços e lesões  desnecessárias, proponho assegurar um bom apoio  físico com o uso de "âncoras" e e uma boa compreensão e desenvolvimento do "drive"  assegurando um bom "gutural"

LIGEIRA:

A música ligeira e as suas caracteristicas reflectem-se directamente na abordagem vocal, não será um aligeirar da voz, mas sim uma progressão de acordo com as dinâmicas e estruturas. O uso de cores e intensidades será uma grande aposta

 

BROADWAY:

A musicalidade associada ao movimento do corpo onde a voz e a coreografia se ligam como um todo. Aqui o "Belting" é o rei da festa. Um momento pelo qual todos anseiam, mas à que saber executá-lo de forma segura e confiante.

CANTO LÍRICO

Abordagem ao repertório clássico atravéz da exploração dos vários registos com respectiva colocação e impostação da voz. Reconhecimento e desenvolvimento das ressonâncias e técnica respiratória caracteristica desta abordagem de canto.

FADO: Existem actualmente inumeras abordagens vocais ao fado, sendo um canto de tradição e raizes bem portuguesas a intenção do texto e o valor das palavras será primordial, sendo a "alma" da voz uma ligação constante nesta abordagem
 

Nota:
Cada caso é um caso e cada voz tem as suas próprias características independentemente do estilo.
Ainda dentro de cada estilo, várias são as diferentes abordagens, dinâmicas, e cores de voz que se podem desenvolver.

 
Roy Hart 

Considero a voz um meio de comunicação por excelência, por tudo o que a compõe, desde a sua origem, à sua
estrutura, ao seu desenvolvimento. Não só no seu sentido estético, como no seu extremo oposto, a criação da
nossa própria linguagem da nossa sonoridade, da nossa vocalidade.

A abordagem a um conceito amplo, onde a abertura para propostas de experimentação e desenvolvimento por
parte de cada um dos elementos que o compõem, quer de um ponto vista prático, teórico, físico, ou emocional.
Um lugar nosso, aberto pela sua própria natureza.

Com base no Roy Hart Theatre, neste espaço, criamos e desenvolvemos.
A leitura de textos, a sua interpretação e abordagem através da vocalização e linguagem não verbal  assim
como a sua interacção com o canto será a nossa base de trabalho. Encontraremos a abertura para outros
horizontes, onde tudo se cruza e se encontra.

 Em 1930 Alfred Wolfsohn, iniciou um trabalho de ensino e pesquisa sobre a voz com base no desenvolvimento da psique humana. Sendo que a psicologia ainda estava a dar os primeiros passos, rapidamente Alfred teve resultados extraordinários com as pessoas a quem ensinava, não só a nível vocal como também psicológico. 

Roy Hart, dotado ator sul-africano de Joanesburgo, recebeu uma bolsa de estudo da Royal Academy of Dramatic Arts de Londres. Aqui tomou consciência que algo lhe faltava: a ligaçãoentre o seu ser e o ser ator não estava completa. O encontro com Alfred Wolfsohn levou-o a abandonar uma carreira promissora como ator e durante os dezassete  anos seguintes não fez qualquer tipo de atuação. 

Emerge em 1969 num período de grande intensidade artística e atividade psicoterapêutica e em 1972 começa a atuar com a sua própria companhia de teatro, a Roy Hart Theatre, na altura com mais de quarenta membros.
Em 1974 a companhia assumiu a sua residência em Malérargues no sul de França. Roy faleceu em 1975 num acidente de automóvel, no entanto, os seus membros deram continuidade ao desenvolvimento do seu trabalho que hoje em dia é mundialmente conhecido.
Novas gerações de professores têm desenvolvido, continuado e difundido o legado de Wolfshon e Hart.
Eu faço parte dessa nova geração.

Discurso

Quantas vezes sente fadiga vocal ao final do dia?​
 

Sente dificuldade em expressar-se vocalmente?
 

Tem a sensação que os outros não o ouvem claramente?
 

Quando fala para um grupo de pessoas sente insegurança e dificuldade em ser ouvido?
 

Sabe como usar o microfone em conferencias ou palestras?
 

Qual a sua postura física e presença quando fala em público?

 

"DISCURSO" é concebido para fazer face a estas questões e ir ao encontro das suas necessidades  de acordo com as suas características.

 O aprofundamento e desenvolvimento vocal, possibilita-lhe, não só uma melhor execução, como uma visão mais ampla de todo o processo de emissão vocal, postura e presença traduzindo-se numa maior capacidadede expressão e oratória.

Tudo o que você necessita para que se sinta mais seguro e confiante em frente a uma pequena ou grande audiência.

Uma formação dirigida especialmente à voz falada. Para todos os que pretendam explorar, desenvolver, corrigir ou melhorar a sua voz, assegurando uma maior facilidade de articulação, dicção, 
interpretação, projeção e expressão.

Uma abordagem clara concisa e direta que permite o acesso a um conhecimento prático através da aquisição de ferramentas vocais. A componente técnica será primordial de forma a assegurar uma boa compreensão do funcionamento do aparelho vocal.

 ​

A abordagem a textos quer prosa quer poesia poderá ser uma das formas de suporte e trabalho ao longo da formação. A componente técnica também estará presente de forma a assegurar uma boa compreenção do funcionamento do aparelho vocal.

O desenvolvimento da capacidade de interpretação e expressão será primordial.

Não existem quaisquer pré-requisito para a sua frequência.​

 
Telefone João Charepe

Telemóvel

+351 962 862 500
 

email do vocaloide
  • facebook

Facebook

facebook.com/outroladodavoz

© 2013 by Vocaloide. All rights reserved